TERROR! TERROR! TERROR!!!

Amigos, o título do post realmente chama atenção. Esta foi minha intenção. Causar impacto. Igualmente,a imagem acima também foi escolhida para chocar. Que tipo de efeito produziu em você? Saiba que há um ramo nas operações militares que tem como objetivo exatamente causar este tipo de desestabilização. Chama-se Operações Psicológicas.

Não vou deter-me em conceitos de Operações Psicológicas pois não tenho conhecimento aprofundado sobre o assunto, mas sei alguns de seus efeitos práticos.

Durante a Segunda Guerra Mundial, os americanos jogavam panfletos com dizeres reconfortantes em território japonês com o objetivo de diminuir a vontade de lutar dos combatentes japoneses. Episódios assim não são raros nos conflitos. Imagine-se com fome, e frio, muitas vezes privado de sono. Seus familiares estão longe ou mortos. Ao seu redor morte e caos. Um verdadeiro tormento. Repentinamente, você começa a ouvir por altofalantes mensagens como: “Soldado! A Guerra que você luta já está acabada! Sabemos do seu valor como guerreiro, mas seus generais já fugiram. Renda-se! Você terá comida, abrigo e será bem tratado!” Impossível manter-se inabalado! Provavelmente, você jogaria seu fuzil longe e levantaria a bandeira branca.

Minar a vontade de lutar do adversário é um excelente método de vencer conflitos. Ele terá menos ímpeto e confiança no combate que poderá nem sequer se realizar.

Outro exemplo é de Vlad Tepes, o sujeito que deu origem às lendas do Conde Drácula. Naqueles terríveis tempos, Vlad Dracul era ameaçado pelos turcos. Vlad querendo mostrar que lutar com ele seria uma parada difícil, mandou matar várias pessoas. Mas a morte pela espada, seria por demais comum. Ele empalou-as. Explico: Uma estaca de madeira longa era enfiada no ânus da vítima e era forçada ao longo de todo o corpo. A vítima era então levantada e ia progressivamente escorregando na estaca até que algum órgão vital fosse perfurado. Era uma morte lenta e cruel. Voltando a Vlad. Ele mandou seus soldados “plantarem” diversas vítimas impaladas pelos seus domínios, promovendo uma verdadeira floresta macabra e abjeta. Diz a lenda que ao ver este cenário apocalíptico, o exército turco ajoelhou, rezou e retirou-se da Transilvânia. Este é um exemplo extremo, mas ilustra bem o efeito psicológico nos conflitos. Observação: Vlad é considerado herói nacional na Romênia.

Os guerreiros samurais usavam, além de suas vistosas armaduras, uma máscara que cobria seus rostos. Hoje, estas máscaras soam até engraçadas, parecem mais caretas, mas no Japão Medieval, deveriam ser pior que a máscara do Jason do filme Sexta-Feira 13! Isso era para impor terror absoluto aos seus adversários. Samurais não enfrentavam somente guerreiros treinados como eles, mas também o homem comum, mediado que deveria estar aterrorizado por ver alguém com uma espada de mais de um metro, afiada como uma navalha, pronto para abatê-lo, dando vários gritos de ataque, vestindo uma máscara assustadora!

Vamos trazer agora para nossa realidade: O que seria minar a vontade de combater do adversário? Na minha concepção parecer tão terrível que eles acreditem que lutar contra você será uma parada dura.

Nesse contexto vale balaclava com estampa de caveira, exibir armamento de madeira ou falso, fazendo crer que você está mais armado que possam pensar. Usar fogos de artifício, sangue falso. O simples fato de estar trajado como combatente pode gerar um efeito sobre a moral de pessoas menos preparadas. Abaixo reuni algumas idéias que podem ser interessantes:

– Ter manequins em locais estratégicos, vestidos como pessoas comuns, prontas para surpreender desavisados. Imagine no meio da mata, num relance rápido, alguém tenso, com o dedo no gatilho vê um vulto que parece uma outra pessoa lhe apontando uma arma, isso o deixará ainda mais tenso e nervoso, colaborando para sua desestabilização emocional, ele pode acionar o gatilho e gastar sua munição que originalmente era destinada para você (convém que neste momento você esteja beeemmm longe, em um local seguro e abrigado).

– Ter alto-falantes para produzir sons e frases para fazer crer que se sabe exatamente o está acontecendo.

– Fazer acender luzes, ou alarmes sonoros que desestabilizarão o adversário.

– Soldados vietcongs frequentemente pegavam corpos de soldados americanos e os espetavam em estacas, estripados, degolados, etc… visando provocar terror nos combatentes. Acho que esta idéia pode ser aproveitada: Pode-se tentar fazer o mesmo com manequins (ou algo que pareça com um). Olhando rápido, quem vai dizer que aquilo é um manequim? Quem vai ficar ali para conferir ou aproximar-se para ver a textura do “corpo”. Quer dar mais veracidade: coloque uns restos de miúdos ou peixe junto. Logo, logo o cheiro virá. Quem vai querer ficar um tempo no local que tenha “corpos” para todos os lados?

– Proteger sua fonte de água: Coloque um manequim boiando na superfície. Já será o suficiente para acreditar que a água está contaminada.

– Certa vez deparei-me com algo curioso. Um amigo tinha gravado no celular gritos desesperados. Ele me disse que eram estes sons que ouvia durante seu treinamento militar ( treinamento pesado, posso garantir). Sabe aquele filme: O Albergue (sei, sei…O filme é um lixo, mas era um sábado chuvoso), eram gritos como aqueles. Mesmo estando num momento de descontração aqueles sons realmente me perturbaram. Imagine no mato, no escuro sem saber o quê realmente está acontecendo? Pavor total!

Um sem-número de idéias podem surgir. Mas acho que esta exposição incial servirá como ponto de partida para aqueles que preparam-se para o pior, mas desejando que ele nunca aconteça.

Você pode não ser tão terrível. Basta parecer que é.

Anúncios

2 comentários em “TERROR! TERROR! TERROR!!!”

  1. Excelente artigo. Muito inspirador. Tive inúmeras outras ideias, vou até testar algumas no sítio. Só espero não esquecer e morrer de susto com elas. Parabéns.

    Curtir

Escreva algo!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s